12/05/2022 15:07 | EsporteEducação

Professor da rede estadual desenvolve projeto esportivo para combater evasão escolar

A ação contempla não só os estudantes da Escola Estadual Theotônio Vilela Brandão, mas também jovens da comunidade como uma atividade de extensão

Projeto melhora desempenho dos alunos nas aulas, combate à evasão escolar e descobre novos talentos no esporte.

Ataíde e cortesia


Joyce Andrea, sob supervisão / Ascom Seduc

Ex-atleta e apaixonado pelo esporte, o professor de Educação Física na Escola Estadual Professor Theotônio Vilela Brandão, localizada no bairro do Poço, em Maceió, Roger Lima, é responsável pelo projeto esportivo de extensão que tem revelado jovens talentos e estimulado mais disciplina e assiduidade em sala de aula. 

A escola já tem um histórico de destaque nas competições juvenis, como os Jogos Litorâneos de Maceió (Jolim) e Jogos Estudantis de Alagoas (Jeal), principalmente, devido à sua tradição de montar equipes e organizar treinos, durante todo o ano, com o foco nessas competições. Entretanto, apenas os alunos com idade para as competições acabavam participando dos times da escola. Esta exclusão dos demais estudantes motivou o professor Roger a criar um projeto que envolva a todos, independente de sua participação nas competições, como uma forma de promover a inclusão e proporcionar uma alternativa de recreação saudável, além das aulas regulares de educação física.


“Quando cheguei na escola resolvi abraçar a ideia do antigo professor, que treinava os alunos para competir, só que dei meu toque pessoal, né? Pensei em promover esse espaço para quem quer participar pelo lazer, não só para quem tem idade das categorias dos campeonatos, mas para quem quer praticar esporte. Então esse foi o carro-chefe do nosso projeto; trazer os estudantes que não tem a idade para o Jeal porque eles se sentiam excluídos, e agora não são mais, todos são acolhidos.  Inclusive, hoje em dia temos alunos da EJA Modular fazendo esporte conosco”, contou o professor.

Atualmente, o projeto funciona aos finais de semana no ginásio da escola, com a prática de voleibol e futsal e conta com cerca de 80 participantes, entre estudantes da escola, da unidade vizinha - Escola Estadual Prof° Eduardo da Mota Trigueiros, e jovens moradores da região que começaram a procurar o professor demonstrando interesse em se matricular na Theo Brandão para conseguir participar do projeto. E, assim, o professor notou a necessidade de abrir o projeto para a comunidade, como uma atividade de extensão social fomentada pela escola. 


“Espalhei panfletos pela escola divulgando o projeto, mas os próprios alunos também fazem a propaganda boca a boca, eles chamam os amigos pra assistir os treinos. Assim, muitos foram acompanhar nossa equipe no Campeonato Alagoano de Voleibol e se interessaram pelo projeto, vieram até me perguntar como poderiam se matricular na escola para conseguir participar e, inclusive,  alguns alunos da escola vizinha se transferiram para cá por causa disso. Hoje, considero um ganho duplo, atraímos mais estudantes para a escola e ao mesmo tempo o projeto é beneficiado com novos talentos que acabamos descobrindo”, pontuou o professor.


Resultado 

A disciplina adquirida em quadra sob o comando do professor Roger, apresentou resultados também dentro da sala de aula. O educador conta que a escola percebeu a mudança de comportamento dos integrantes do projeto, que passaram a ser mais comprometidos e engajados. “O esporte tem regras e precisa de disciplina. É como funciona, se o aluno não se adequar, ele é retirado do projeto. Então existe uma conversa inicial com todos, sobre horário, postura e bom senso. Resolvemos tudo no diálogo e tem dado certo. Esses dias na reunião de professores veio o feedback positivo de que os alunos que participam do projeto mudaram muito de comportamento. A frequência nas aulas melhorou e, consequentemente, as notas melhoraram”, relatou.


Apoio da gestão 

Os esforços para a realização do projeto contam fundamentalmente com a assistência da gestão escolar. Rosangela Correia, gestora geral da Theo Brandão, reside próximo a escola e tem o comprometimento de abrir o ginásio aos finais de semana para que o projeto aconteça. “A prática esportiva ensina a obedecer regras, a respeitar o outro, e nós temos visto isso em sala de aula. Eles levam o que têm aprendido na quadra também para sua vida e todos os professores já elogiaram essas mudanças. Por isso, oferecemos todo apoio, porque os efeitos são positivos e o que a gente puder fazer para dar continuidade ao projeto nós iremos fazer”, afirma a gestora.


Talentos descobertos  

Por meio do projeto a escola já revelou diversos talentos e, mais recentemente, teve três alunos selecionados para jogar Voleibol pela Seleção Alagoana no Campeonato Brasileiro de Seleções (CBS). Como exemplo, um dos prodígios do projeto é o aluno Luiz Inácio de Moraes, que anteriormente jogava pelo time de futsal da escola, mas não pôde mais competir pela sua faixa etária. Até que decidiu experimentar o Vôlei e foi acolhido pelo projeto de extensão, quando revelou grande aptidão para a modalidade e se destacou rapidamente na equipe. 



“Jogava futsal com o intuito de ir para o Jeal mas, pelo limite de idade, acabei saindo do time. Então fui para o projeto de Vôlei, que era um esporte que já conhecia por jogar nas aulas de educação física, mas vi que é totalmente diferente jogar para competir. Através dos treinos aprendi muita coisa e acho que é um projeto importante para que todos possam ter essa oportunidade de se descobrir”, contou o estudante.