24/11/2022 14:50 | Saúde

Situação da Covid será avaliada em reunião na Sesau, nesta sexta-feria (25)

Encontro acontece às 11 horas, na sede da Secretaria de Estado da Saúde, em Jaraguá

Ruana Padilha / Ascom Sesau

A situação epidemiológica da Covid-19 em Alagoas será tema de reunião nesta sexta-feira (25), às 11h, na sede da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), em Jaraguá. O encontro vai contar com a presença de infectologistas, técnicos em epidemiologia, integrantes da Central Estadual de Regulação de Leitos e gestores hospitalares, que integram o Grupo Técnico Científico de Combate à Covid-19.

 

O chefe do Gabinete de Combate à Covid-19 da Sesau, infectologista Renee Oliveira, explicou que a reunião analisará o quadro epidemiológico da Covid-19 no Estado até o momento. “Iremos avaliar o quantitativo de casos, o número de óbitos, taxa de ocupação hospitalar, bem como, o número de pacientes que necessitaram de internamento na UTI [Unidade de Terapia Intensiva] e os que faleceram. A reunião é necessária para avaliarmos se existe a necessidade do aumento do número de leitos hospitalares”, explicou.

 

Durante o encontro também será abordada a questão das medidas sanitárias para conter o avanço do novo coronavírus em Alagoas. “Precisamos aumentar o incentivo à vacinação e decidir se o que foi recomendado até agora está surtindo efeito positivo. A população deve compreender que a utilização do uso da máscara e o distanciamento social são necessários neste momento”, ressaltou o infectologista.

 

O secretário de Estado da Saúde, médico Gustavo Pontes de Miranda, alertou que o momento é de monitoramento e que a situação será analisada tecnicamente pelas autoridades de saúde do Estado. “Agora é um momento de alerta, de observação e de rápida tomada de decisão, exatamente para poder dar conta de qualquer demanda assistencial que vier a aparecer. Monitorar a situação é fundamental para que, se for necessário, outras medidas sejam tomadas e o Estado consiga minimizar os efeitos de um eventual aumento progressivo de casos da Covid-19”, afirmou