16/05/2024 12:43 | Meio Ambiente

IMA chega aos 36 anos com avanços e conquistas ambientais em Alagoas

Ações do órgão contabilizam números significativos em todas as áreas de atuação


O projeto Alagoas Mais Verde já conta com mais de 1,5 milhão de mudas plantadas em 83 municípios alagoanos

Ascom IMA-AL


Ascom IMA-AL

O Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA-AL) tem muito a comemorar, já que nesta quinta-feira (16) o órgão celebra seu 36º aniversário como autarquia estadual. Nestes 36 anos, são muitas as realizações e conquistas ambientais em todas as suas áreas de atuação: preservação, educação ambiental, projetos, pesquisas e muito mais.

 

Fundado em 1975, por meio da Lei Estadual n° 3543 de 30.12.75, é considerado o órgão ambiental mais antigo do Brasil. Nomeado inicialmente como Coordenação do Meio Ambiente (CMA), estava ligado ao gabinete do Secretário de Planejamento. Passou sua primeira modificação em 1988, por meio da Lei Estadual n° 4986, de 16.05.88, ascendendo em status e tornando-se uma autarquia estadual.

 

Um exemplo das realizações do órgão é o projeto Alagoas Mais Verde, promovido pela Gerência de Educação Ambiental (Gedam), que já conta com 1 milhão e 505 mil mudas plantadas em 83 municípios do estado desde o seu início, em 2015. A arborização promovida pelo projeto trata da recuperação de áreas degradadas e restabelece árvores nativas. Outro projeto da Gedam, o Salsa Viva, contribui com a preservação da restinga e equilíbrio do mar, cercando 350 mil m² em áreas desde o seu lançamento.

 



Referente à conservação da biodiversidade e dos recursos naturais, a Gerência de Unidades de Conservação (Geruc) monitora 84 Unidades de Conservação, sendo 10 públicas e 74 privadas, Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs). As Unidades de Conservação envolvem a participação da sociedade nos conselhos gestores das unidades e propõem a criação de novas unidades no território alagoano com o objetivo de proteger ecossistemas frágeis ou ameaçados.

 

As RPPNs alcançaram um aumento de 196,44% desde 2015, tendo atualmente 12.390,15 hectares de área total aproximada. Alagoas ocupa a 8ª posição em número de Reservas Particulares do Patrimônio Natural no Brasil.

 

Já a Gerência de Mudanças Climáticas (Geclim) iniciou a implementação da política pública de serviços ambientais através de dois subprogramas previstos no programa estadual de serviços ambientais: o Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) RPPN e o PSA Agroecologia, que incentivam a criação de RPPNs e a implementação de práticas sustentáveis na agricultura, respectivamente. Além disso, participa da composição do comitê e fórum alagoanos de mudanças climáticas.

 



Quanto a pesquisas e acervo florístico, o Herbário MAC (Maceió) do Instituto já contabiliza mais de 70 mil amostras de plantas coletadas e catalogadas em seu acervo botânico, cuja coleção é reconhecida por todo o país e internacionalmente. Além deste marco significativo, outra realização notável do herbário é o projeto Herbário de Portas Abertas, que já reuniu aproximadamente 730 visitantes, entre estudantes e pesquisadores, desde o lançamento em 2023.

 

Em relação aos cuidados com a fauna, a Gerência de Fauna e Flora (Gerff), juntamente com o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), que funciona em parceria com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama), realizou o resgate de diversas espécies, muitas das quais foram soltas na natureza em seus respectivos habitats.



 

O laboratório do IMA chegou aos 76 pontos de coleta de balneabilidade, entre pontos de praias e lagunas. As amostras coletadas são analisadas quanto às suas características físicas e químicas, determinando se um ambiente aquático está apto ou não para banho. O resultado dessas análises é divulgado semanalmente no site do órgão.

 

Todas essas conquistas não seriam possíveis sem o esforço integrado entre as gerências e os colaboradores que compõem o IMA. São 36 anos de história e muitas ações em prol do meio ambiente.