16/05/2024 08:35 | Meio AmbienteGoverno de Alagoas

Governador defende que União Europeia inclua investimentos na preservação do bioma caatinga

Paulo Dantas reiterou que Alagoas segue à disposição para parcerias ambientais e socioeconômicas


Para o governador Paulo Dantas, a preservação do bioma caatinga também precisa de atenção especial dos países europeus

Fotos: ApexBrasil


Wendel Palhares / Agência Alagoas

Em mais uma rodada de reuniões com a União Europeia (UE), ocorrida nessa quarta-feira (15), em Bruxelas, na Bélgica, os governadores que integram a comitiva do Consórcio Nordeste apresentaram as potencialidades da região no que diz respeito à preservação ambiental. O governador Paulo Dantas defendeu, junto aos demais chefes dos poderes executivos, que a UE ao apoiar o bioma amazônico, também estenda investimentos para financiar o bioma caatinga, que é característico da região nordestina, e tem importância no combate à desertificação.


Aos integrantes da Comissão de Investimentos da União Europeia, o governador reiterou que Alagoas continua à disposição para parcerias, sobretudo porque as perspectivas econômicas do Estado se apresentam como excelentes, seja na geração de emprego e renda e contribuição decisiva para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB). 


“Tenho certeza que estes momentos aqui com a União Europeia serão fundamentais para que o Governo de Alagoas crie alternativas para os países da Europa invistam em nosso país, em nossa região nordestina, invista em Alagoas, principalmente alcançando uma pauta ambiental relevante que é a preservação do bioma caatinga em um modelo sustentável economicamente e socialmente”, argumentou o governador.




O Governo de Alagoas tem atuado na preservação da caatinga e no combate à desertificação com políticas públicas e normas para a proteção e conservação do bioma no Estado. 


Desde o ano passado está promulgada a Lei Estadual 8.955/2023, que trata da proteção ao bioma caatinga. A nova legislação busca aplicar regulamentações contra a exploração predatória de recursos naturais e a mitigação das mudanças climáticas. 


Nesse quesito, o governo tem realizado trabalhos de conscientização ambiental, combate ao desmatamento e educação para o uso sustentável, além de estabelecer parcerias com os municípios e com instituições que lutam por sua preservação da caatinga.


Energia renovável 

A presidente do Consórcio Nordeste e governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, reforçou que os estados nordestinos têm um papel de liderança no processo de transição energética e descarbonização.


“Os estados do Nordeste estão em um cenário de destaque nos investimentos em energias renováveis. A nossa região está posicionada para exercer um papel de liderança na descarbonização da economia global. Recentemente, verificamos a emergência para produção do hidrogênio verde, que não pode mais ser tratado como um combustível do futuro porque estamos tratando agora de uma das mais importantes alternativas energéticas do presente”, analisa. 


Presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), Jorge Viana, disse que o Brasil está com uma situação econômica exemplar e apta a captar investimentos. 


“Somos o segundo país a receber mais investimentos estrangeiros, perdendo apenas para os Estados Unidos, já que a nossa economia está crescendo e a inflação apresenta baixos índices. Temos quedas de juros e ampliação dos investimentos. O Governo Federal já lançou um dos maiores programas de atração de investimentos para o agronegócio, para infraestrutura, e caminha cada vez mais para uma agenda positiva em defesa da sustentabilidade”, ressalta. 


Consórcio NE na Europa

Integram a comitiva a presidente do Consórcio Nordeste e governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra; os governadores Paulo Dantas (AL); Jerônimo Rodrigues (BA); Elmano de Freitas (CE); Rafael Fonteles (PI); Fábio Mitidieri (SE) e o vice-governador do Maranhão, Felipe Camarão. Além de Fernando Hollanda, secretário-chefe da Assessoria Especial da Governadora Raquel Lyra e Relações Internacionais de Pernambuco e do superintendente da Sudene, Danilo Cabral.