05/10/2021 10:48 | EsporteEducação

Escolas da rede estadual contabilizam 48 medalhas nos Jogos Estudantis

Conquistas aconteceram no handebol, judô, natação, atletismo, wrestling, futsal e vôleis de quadra e de praia

Jonathan Lins


Ana Paula Lins

A rede estadual de ensino conquistou 48 medalhas na edição 2021 dos Jogos Estudantis de Alagoas (Jeal), cujas disputas se encerraram no último final de semana. Foram 25 ouros, 13 pratas e 10 bronzes nas modalidades handebol, natação, atletismo, judô, futsal, wrestling, vôlei de quadra e de praia.

O judô é a modalidade com maior número de medalhas – 14 ao todo - seguida pelo atletismo (10), wrestling (9), natação (8), vôlei de praia (4), handebol, futsal e vôlei de prata, cada uma com uma medalha.

Modalidades individuais

No judô, medalhas para atletas das escolas estaduais Dr. Sidrônio Augusto de Santa Maria, de Santa Luzia do Norte, Dom Constantino Luers, de Campo Alegre, Edson Bernardes, de Maceió, Claudizete Lima Eleutério, de Rio Largo, Benedito Moraes, de Maceió, Manoel Gentil, de Satuba, Costa Rego e Quintella Cavalcante, de Arapiraca. Já no Wrestling, a antiga luta olímpica, as nove medalhas são das escolas estaduais José Correia da Silva Titara, Rosalva Pereira Viana, Maria Ivone, Dom Otávio Barbosa Aguiar, Lafaiete Belo e Francisco Melo.

No atletismo, a Escola Estadual Xingó II, de Piranhas, levou oito medalhas, seguida pela Escola Estadual Edson Bernardes, com duas. Na natação, as oito medalhas foram conquistadas pelas escolas estaduais José da Silveira Camerino, do Cepa e Gabino Besouro, de Penedo.

No vôlei de praia, a Escola Estadual Julieta Ramos Pereira, de Paripueira, reafirmou sua tradição na modalidade, com ouro no juvenil masculino. A Escola Estadual João Paulo II, de Maceió, arrebatou um ouro e um bronze no infantil masculino e no juvenil feminino – nesta categoria, ouro para a Escola Estadual Lucilo José Ribeiro, de São José da Tapera.

Veteranos e estreantes

No handebol masculino e futsal feminino juvenis, as escolas estaduais Geraldo Melo, de Maceió e Claudizete Lima Eleutério, de Rio Largo, reafirmaram sua tradição nos jogos conquistando o ouro e mostrando porque são forças de suas modalidades.

No handebol, a Geraldo Melo se sagrou tricampeã consecutiva da modalidade. “Não perdemos nenhum jogo no Jeal desde 2018. Tenho muito orgulho desta equipe, nossos alunos são muito esforçados e os resultados falam por si, Agradeço também ao apoio dos pais e de todos que fazem a Escola Geraldo Melo”, afirma o professor Bruno Pessoa, que comanda a equipe ao lado do auxiliar Rodrigo Zuza.

Com 14 títulos nos jogos – entre masculino e feminino – a Escola Estadual Claudizete Lima Eleutério se tornou pentacampeã da modalidade no feminino. “Temos um trabalho contínuo, de geração em geração, estamos sempre viajando e participando de competições. O futsal atrai muitos alunos para a escola. Meninas que gostam de futsal fazem questão de estudar lá”, conta o professor Romildo Calheiros.

Por outro lado, a Escola Estadual Théo Brandão, de Maceió, levou a prata no voleibol de quadra juvenil feminino após cerca de dois meses de treinos. “Tanto a equipe feminina quanto a masculina estão muito motivadas para as próximas competições, dentre as quais, o campeonato alagoano e a Copa Sesc”, adianta o professor Roger Lima Soares.

Perseverança e gratidão

Gratidão é o sentimento que une Alex Müller, da Geraldo Melo, Rebeca Augusto, da Claudizete, e Maria Eduarda Barros, da Théo Brandão. Capitães de suas respectivas equipes, eles são unânimes ao afirmar que as medalhas são consequência de muito esforço, dedicação e do apoio de seus professores/técnicos.

“Esse título foi muito importante, pois treinamos bastante desde o ano passado. Somos muito gratos ao professor Bruno e ao Zuza que sempre acreditaram na gente”, afirma Alex, aluno da 3ª série do ensino médio da Geraldo Melo.

Rebeca teve motivação similar para o futsal. “Ganhar o Jeal é um sonho antigo: já havíamos sido prata em 2017 e bronze em 2018. Agora, daremos o nosso melhor para representar Alagoas no nacional. Agradecemos demais ao professor Romildo por sempre nos apoiar”, declara.

Estreante nos Jogos, a levantadora Maria Eduarda diz que os Jogos foram uma experiência enriquecedora. “Para quem teve tão pouco treinamento, foi um resultado excelente. O professor Roger fez um trabalho brilhante e só temos a agradecer por trazer essa medalha para nossa escola”, conclui.