19/08/2021 11:00 | Alagoas Sem Fake

É falso que levantar da cama rápido cause derrame cerebral

Cardiologista explica que queda de pressão arterial é normal nesses casos, mas que não é fator de risco para AVC


Secom Alagoas


Secom Alagoas

Circula em grupos do WhatsApp uma mensagem que apresenta a suposta “lei de um minuto e meio” que evitaria um derrame cerebral ao acordar durante a noite para ir ao banheiro. O conteúdo é falso. Os médicos explicam que procedimento não existe e que é normal acontecer uma redução da pressão arterial, mas que isso não aumenta o fator de risco para um AVC.

O longo texto não apresenta fonte e lista várias informações, entre elas um possível método para resistir a um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

“Para aqueles que acordam à noite para ir ao banheiro, deve-se ter cuidado com a "LEI DE UM MINUTO E MEIO" que é cientificamente comprovada "AO ACORDAR DE REPENTE" para fazer suas necessidades fisiológicas. Você ouve dizer que alguém "ESTAVA BEM DE SAÚDE E MORREU DE REPENTE DURANTE A NOITE SEM MOTIVO". O motivo mais provável é que quando essa pessoa acordou para ir ao banheiro, ela levantou-se da cama com muita pressa, neste momento, o cérebro precisa de fluxo sanguíneo maior, por ter repousado, causando um estado de desmaio aí o acidente vascular cerebral acontece (sic)”, orienta o texto. 

Na sequência, a mensagem defende que a solução para resistir ao derrame seria aguardar um minuto e meio antes de se levantar. Ao seguir três etapas de 30 em 30 segundos, o texto diz que “as chances são gigantescas para sobreviver a um AVC súbito independentemente da idade”. O texto é falso e circula em outras versões desde 2017.

Em uma simples pesquisa, é possível perceber que a mesma mensagem já foi compartilhada com diferentes assinaturas. No exemplo desta checagem, o texto é atribuído a um suposto cardiologista e socorrista resgatista Alexandre, mas a mensagem não informa qual seria o sobrenome ou onde o autor atuaria. Em outra versão, que foi checada pelo site Boatos.org, a mensagem foi atribuída  a um hipotético socorrista de nome Fábio André. O selo “encaminhada com frequência” dado pelo WhatsApp também já é motivo para desconfiar do teor da mensagem. 

O cardiologista do Hapvida Maceió, José Leitão, conferiu a mensagem e garantiu que o método apresentado não existe. “Quando uma pessoa passa muito tempo deitada, ao se levantar, pode levar a uma queda da pressão arterial e, consequentemente, a um quadro de tontura e provável queda da própria altura, sendo os idosos mais propensos a esse tipo de sintoma. No entanto, esse fenômeno não aumenta o fator de risco para AVC”, explica o médico.

Apesar de ser enganosa, a mensagem viralizou e sempre volta a circular. O Hospital Sírio-Libanês fez uma publicação nas redes sociais para ajudar a desmentir a ideia e utilizou a explicação do neurologista Eli Evaristo sobre o que pode, de fato, prevenir o AVC: “As medidas preventivas para um Acidente Vascular Cerebral incluem o controle de fatores de risco como hipertensão arterial, diabetes, altos níveis de colesterol, tabagismo, sedentarismo, obesidade, apneia do sono, entre outras”.

Os sites G1, UOL, e Correio Braziliense também já confirmaram a desinformação em datas distintas. 

Alagoas Sem Fake

Com foco no combate à desinformação, a editoria Alagoas Sem Fake verifica, todos os dias, mensagens e conteúdos compartilhados, principalmente em redes sociais, sobre assuntos relacionados ao novo coronavírus em Alagoas. O cidadão poderá enviar mensagens, vídeos ou áudios a serem checados por meio do WhatsApp, no número: (82) 98161-5890. Clique aqui para enviar agora.